Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Cão

por Inês Teotónio Pereira, em 03.05.10

No i do fim-de-semana

 

A problemática do cão: tirando duas ou três pessoas, ninguém acha bem eu ter um cão. Filhos, trabalho, casa e cão é tramado. Ninguém merece, dizem-me. Ele roem, ladram, uivam, fazem cocó, largam pelo, crescem, sujam, não são autónomos, tramam-nos as férias e os fins-de-semana, ocupam espaço e dão imensa despesa, trabalho e preocupação. É assim como os filhos, tirando as partes do roer, do pêlo e substituindo o ladrar pelo choro. Por isso pensámos, muitíssimo, sobre esta problemática. Ponderámos exaustivamente esta opção para a nossa vida, este compromisso familiar, vá. Somos, enfim, um casal responsável prestes a tomar uma decisão sobre outro ser e vivo. Ui. Estaremos preparados para isto? E depois, se não gostarmos, não podemos deitar o canídeo fora... E quem é que o leva a passear quando estiver uma tempestade? E se ele for insuportável? Fica lá fora ou cá dentro? E o cheiro? Fica lá fora. Mas se estiver frio? Vem cá para dentro. Mas assim não se habitua a estar lá fora. Não sei.
Resultado, temos um cão. "Gandas malucos!", dizem-me. "É mais um filho!", avisam-me com carinho. "Tás tramadinha, vais ver!"
Mais um filho?! Mas se eu quisesse mais um filho tinha mais um filho, não tinha um cão. "Mas é, vais ver." Estou em pânico. E os meus filhos também, que nem têm idade para ter filhos, coitadinhos. Entretanto, o cão. O cão está a aprender que é cão, que não é gente. O que, convenhamos, para um cão é uma evolução (há pessoas que ainda não distinguem). Dá trabalho? Claro que sim. Mas dava muito mais se tivesse vida de gente e não a vida de cão, que é a dele. Um cão sem luxos, vá, que não ambiciona ter mais do que pode. Sensato, portanto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:42



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog