Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Se o Toys 'R' Us fosse uma loja minha, eu encomendava e vendia comandos de televisão e telemóveis de vários modelos, com o mesmo peso dos verdadeiros e com pilhas a imitar as reais. Seriam tão parecidos que nem o dono da Nokia ia dar pela diferença: até teriam os mesmos sons e as vozes das meninas da vodafone, por exemplo.

Lá venderia pacotes de toalhetes para as crianças poderem tirar  os que quisessem e pôr lá dentro de novo, ou não, e bisnagas de halibut de vários tamanhos - com uma coisa qualquer lá dentro a imitar a pomada, claro.

Vendia, pentes, frascos de água de colónia a imitar vidro, relógios e óculos iguaizinhos aos verdadeiros. Sem tirar nem pôr - de tal forma que até as crianças teriam medo de lhes tocar.

Vendia ainda pratos e copos pesados, latas de salsichas e de atum e pacotes de leite e de iogurte de tal  maneira parecidos com os verdadeiros que até deviam ser guardados na despensa.

Vendia vários tamanhos de chaves de carro, de casa, de gavetas e de cofres a imitar ferro, ou com o mesmo sabor do metal, para eles porem na boca e poderem fazer o mesmo barulho dos originais.

Se eu mandasse no Toys 'R' Us, as crianças não eram enganadas com brinquedos a imitar coisas de crescidos. Sem graça nenhuma, mas de crescidos. O meu Toy 'R' Us era uma coisa honesta - e uma loja muito mais amiga dos pais.

(Se algum chinês estiver a ler isto, esteja à vontade para comercializar os produtos também nas suas lojas - nenhuma das ideias está registada, eu é que não sei  escrever em chinês) 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:21



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog