Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Porque amanhã é 10 de Junho

por Inês Teotónio Pereira, em 09.06.09

A única vez que comemorei o dia de um país foi o 4 de Julho nos Estados Unidos. E por acaso: fui ver fogo de artificio à beira rio. Pouca coisa, mas animado - uma espécie de santos populares em versão nórdica em que as pessoas abanam as bandeirinhas por osmose. 

Por cá, o dia de Portugal é uma coisa enfadonha: séria de mais para ser levada a sério. Não há festas, há cerimónias e não há paradas, há manifestações. 

Começamos logo em pequeninos a aprender que o dia do nosso país não é uma festa é uma introspecção colectiva; uma solenidade melancólica vivida ao som de discursos monocordidos.

Não vá alguma criança dar em patriota.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:19



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog