Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Birras

por Inês Teotónio Pereira, em 27.12.10

Crónica publicada no i de 18 de Dezembro

 

Se eu fosse criança passava o dia a fazer birras. Gritava, berrava, chorava, esperneava e atirava-me para o chão sempre que me lembrasse e me apetecesse um chocolate ou não pôr o cinto de segurança no carro. Divertia-me que me fartava.
As birras são uma espécie de dinheiro das crianças: são o que elas têm para oferecer em troca de alguma coisa que querem ter. Uma criança que saiba fazer birras, e que as saiba fazer em quantidade e com qualidade, é milionária: consegue tudo o que quer.
Enquanto uma pessoa normal tem de comprar coisas para as ter, uma criança não: a uma criança basta-lhe fazer uma birra. Ela "compra" as coisas com birras. O preço depende dos vários factores de produção da birra: a qualidade da birra, a quem é dirigida a birra, a altura do dia em que é feita a birra, se é uma birra doméstica ou pública, etc.
As birras têm muito que se lhes diga, são quase uma ciência. Por exemplo, a birra mais comum, a do supermercado: qualquer criança que saiba desenvolver a arte da birra com mestria domina na perfeição esta birra. Outra infalível é a da manhã: de manhã consegue-se tudo em troca de silêncio. Também há as birras no meio da rua, para sensibilizar os transeuntes, e as chamadas "birras de sono", que são sempre desculpáveis porque "coitadinho, está cheio de sono".
Uma criança que não sabe fazer birras é porque as suas birras não valem nada. Por mais que tente, não consegue nada em troca de birras, só castigos, palmadas e indiferença. Birras, meus senhores, são sinais de personalidade, de persistência e de ambição. Gostava de ter feito mais. Só que os meus pais não me deixavam.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:04



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog