Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



E agora?

por Inês Teotónio Pereira, em 27.12.10

Este ano, por cada dia que passou, foram feitos 53 abortos legais. Em 2007, os números não ultrapassaram os 36. O número de interrupções voluntárias da gravidez tem crescido sucessivamente desde que a prática foi despenalizada há três anos. Em 2009, houve 19 572 contra os 18 607 abortos praticados em 2008 (mais 965). E, até Agosto de 2010, os casos já atingiram o patamar dos 13 mil. Ou seja, a manter-se a média actual, 2010 vai fechar ligeiramente acima do ano anterior, o que contraria a tendência decrescente noutros países europeus que optaram pela legalização.
Apesar de os números se aproximarem das estimativas iniciais - previa-se, com base na experiência de outros países europeus, que pudessem vir a praticar-se 20 mil abortos por ano -, especialistas entendem que três anos e meio depois da legalização do aborto, por opção da mulher, até às dez semanas já se deveria ter entrado numa lógica decrescente. (...) 
Dos 13 033 abortos registados nos primeiros oito meses do ano, 12 676 foram feitos por opção da mulher: só em 357 casos, o aborto foi provocado por perigo de morte ou de saúde da grávida ou malformação do feto. (...)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:26


5 comentários

De Diana a 27.12.2010 às 15:19

Só quiseram saber da despenalização e não trataram da prevenção. Sem ensinar e explicar as opções, fica difícil.

De Mats a 27.12.2010 às 17:53

Agora há que lutar para voltar a penalizar esse infanticídio. Pergunta é: será que há vontade política?

Nós temos os líderes que merecemos.

De Anónimo a 27.12.2010 às 18:50

Excelente pergunta... E agora?

De palavrasasolta a 30.12.2010 às 17:56

Falta a prevenção, falta o ensinar, falta o explicar.
E mais do que isso, falta o respeito por quem queria ter (mais) filhos, falta o apoio que a estes é devido.
Para quando uma nova mudança, que cada vez se torna mais urgente?

De Marta a 03.01.2011 às 09:21

O aborto e actualmente encarado por muita gente como um método contraceptivo. Gente ignorante, desnorteada, desinformada. O que seja. O que interessa e que se continua a tirar a vida a milhares de fetos, bebes, por ano. E num segundo plano, o contribuinte a pagar. E os casais com dificuldades em conceber? Esses que paguem do seu bolso ou enfrentem listas de espera de 3 anos para... Uma tentativa. Este e o pais que temos...

Comentar post



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog