Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



a problemática divina

por Inês Teotónio Pereira, em 15.02.11

Se há tema difícil para as crianças e os pais esse tema é Deus, terreno fértil para conversas surrealistas. Qualquer exame oral do curso mais difícil do mundo é canja comparado com as questões infantis que envolvem a problemática divina. A primeira vez que as crianças ouvem falar de Deus sentem uma curiosidade arrebatadora. Deus? Quem é? Onde está? E logo a seguir vêm as perguntas, os delírios, as divagações e as dúvidas. Primeiro vem a questão da existência: "Deus existe mesmo? Mas alguém já o viu ou é assim como os desenhos animados? Existiu como? Onde é que está?" É preciso muita fé, muita doutrinação e muito sangue frio para passar por esta primeira prova. Ou não, depende. Quem não acredita em Deus tem aqui uma posição privilegiada, facilitada: é não a tudo e pronto, resolve logo o assunto. E quem acredita? Ora, quem acredita está tramado. Um pai ou uma mãe que acredite em Deus na sua omnipresença, omnisciência e omnipotência está feito e pode contar com um calvário. O facto de Deus estar em todo o lado - no coração, no meio de nós, na missa, na cruz, no presépio, no Céu, etc. - dá azo a uma confusão dos diabos. E o mesmo se passa com Jesus: a questão de Jesus ser Filho e também Pai, de ter morrido, mas depois ter ressuscitado, de aparecer e desaparecer de quando em quando e de ainda por cima ser Deus, faz com que qualquer criança, no mínimo, pense duas vezes sobre o assunto. E o que é que ela faz? Vai ter com os paizinhos cheia de perguntas a que nem Santo Agostinho conseguiu responder. Mas nós, pais, temos as costas largas.

 

(outra crónica publicada no i há imensas semanas)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:33



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog