Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Os parques infantis vão ter de ser vedados e passa a ser obrigatório uma segunda vedação em volta dos baloiços. Além disso, a entrada vai ser limitada a crianças a partir de determinadas idades.

É mesmo a sério: há uma lei. Uma lei inteirinha sobre isto. Existiu uma reunião, uma delegação de competências e horas despendidas por uma série de gente a elaborar esta pérola normativa. Houve alguém que se lembrou: "porque é que a malta não mete umas vedações em volta dos parques infantis e dos baloiços? Assim como assim o pessoal da ASAE já foi aos restaurantes todos, já ninguém fuma, e a gente não tem nada para fazer. Bora chatear as criancinhas? Quem quer fazer esta lei ponha o braço no ar". E assim foi.

Decidiiu-se que a fiscalização dos parques vai deixar de ser da competência das autarquias para passar a ser da ASAE e fabricaram esta lei estranhíssima. Parva, mesmo.

E sou eu que digo? Não. Eu não percebo nada disto. Quem o diz, quem espera que alguém a suspensa porque é ridícula, limitativa e autoritária (dito por outras palavras, é claro), é a APSI. Até porque nem a Europa - esse bicho normativo - exige ou recomenda este tipo de legislação.

E o que é a APSI? Não, não tem nada a ver com informática. É a Associação para a Promoção de Segurança Infantil. Repito: Associação para a Promoção de Segurança Infantil. 

A APSI, a tal da promoção de segurança infantil, diz que o Governo teve"excesso de zelo", para não dizer excesso estupidez. E o Governo, pela cabeça e voz de um senhor chamado Serrasqueiro, que é secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, diz que nunca há excesso de zelo no que diz respeito à segurança das crianças. Até porque ele lá sabe. Já a APSI, a tal da segurança infantil, não percebe nada disto. Apesar do nome.  

E já agora porque é que as crianças não andam de trela? E com armaduras? E com chips integrados de localização? E que competência têm os pais para cuidarem dos filhos? O senhor Serrasqueiro é que sabe, claro.

Dizia Milton Friedman a propósito de pessoas como o senhor Serrasqueiro e de coisas esquisitas como a ASAE: "Many people want the government to protect the consumer. A much more urgent problem is to protect the consumer from the government".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:50


1 comentário

De Xs a 14.09.2009 às 16:03

E pensar que quem se lembrou destas coisas foi a malta de Bruxelas?!?!?
Quem diria! entre uma tacada e golfe e outra (pelo menos da fama não se livram) lembram-se de cada uma que até faz confusão.

Comentar post



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog