Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Os malcriados e a gramática

por Inês Teotónio Pereira, em 11.07.11

(No i, agora à sexta-feira) 

 

Tenho mais uma teoria sobre o comportamento infantil que, tal como todas as outras teorias que reservo, ainda carece de alguma (escassa, diga-se) demonstração: diz ela, a teoria, que as crianças são à partida e tendencialmente mal-educadas. Todas elas. Se puderem escolher, as crianças optam por se assumirem como pequenos selvagens sem obediência a quaisquer regras sociais que garantem um convívio agradável/possível entre elas e os outros (nós). Segundo esta minha teoria, a gravidade deste fenómeno comportamental apenas verificável através de observação e de uma ou outra experiência com os filhos dos outros – porque os nossos não são malcriados (nós não criamos nem educamos mal coisa nenhuma quanto mais os nossos filhos) são livres, extrovertidos ou na pior das hipóteses rebeldes – é aquilo que o fenómeno pode originar. Ou seja, uma criança malcriada quase sempre origina um adulto malcriado, que pode facilmente chegar ao nível de javardo.

Uma criança que não sabe esperar pela sua vez, que come de boca aberta, que diz palavrões, que insulta quem a contrarie, que cospe na sopa e bate na avó, não tem qualquer hipótese de vir a perceber na adolescência (altura em que todas as tendências multiplicam a sua intensidade por 19990 mais coisa menos coisa) que tem de mudar. Ela não muda. Pode disfarçar, mas isso custa-lhe sempre e não o fará automaticamente, naturalmente. As regras de educação, as sociais, são como todas as outras - de higiene, ambientais, de trabalho, de disciplina, de saúde, de alimentação, etc. - e todas elas são como a gramática: ou as aprendemos quando somos pequeninos, ou nunca as conseguiremos sequer perceber, quanto mais decorar. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:56


3 comentários

De Carolina a 12.07.2011 às 07:38

Está maravilhoso!!! Vou "linká-lo"! :)

De maggie a 14.07.2011 às 12:49

tem toda a razão!
Mto bem explicado!
Só uma pergunta: qual a idade limite para essas regras basicas serem assimiladas?
é que eu tenho uma miuda de 5 e outra de 4 anos ainda precisam de limar ali umas arestas.... hi hi hi

Bjinho
Maggie

De Pedro Paiva a 15.07.2011 às 04:30

Já Pitágoras dizia: " Educai as vossas crianças para não ter que punir os adultos!"
Sabedoria ancestral e atual!

Comentar post



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog