Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Toda a verdade

por Inês Teotónio Pereira, em 02.02.12

No i de há imenso tempo

 

 

Os pais sofrem de uma enorme carência de liberdade. Os pais, só porque são pais, estão condicionados em todas as vertentes da sua vida: em questões de personalidade, sociais, comportamentais, disciplinares, etc. A verdade é que pelo simples facto de sermos pais e de estarmos a educar crianças faz com que deixemos de fazer aquilo que nos apetece e tudo aquilo que fazemos desde o dia em conquistamos a ambicionada emancipação paternal. No fundo, no nosso exercício paternal deixamos de ser verdadeiros e passamos o dia a condicionar comportamentos. Começa logo pelo facto de não podermos dizer palavrões sempre que queremos. Desabafar no trânsito com todo o à vontade que a circunstância exige, deixa de ser um direito que nos assiste e para toda a vida. Além disso, deixamos de poder fazer coisas tão simples e saudáveis como pôr os pés em cima da mesa, comer na sala e deixar migalhas no sofá, deixar comida no prato, deixar as luzes acesas, não fazer a cama, chegar tarde a casa, ouvir música aos gritos depois das nove da noite ou simplesmente dizer mal de qualquer pessoa nas costas correndo o risco de essa pessoa vir a saber no dia seguinte se encontrar uma das nossas crianças pela frente - e isto só para citar alguns exemplos.

Claro que podemos optar por libertar o nosso verdadeiro eu e revelar aos nossos filhos toda uma lista de impropérios que caracterizam o condutor de quase todos os carros que circulam na terceira facha da autoestrada. Mas como pais que somos, sabemos que não podemos. Porque não. É uma coisa genética que se revela no dia em que temos o primeiro filho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30


2 comentários

De Ana Santos e Lopes a 07.02.2012 às 15:59

Concordo...à pois concordo....
Como eu tenho saudades do tempo que em fazia tudo isso e muito mais...do tempo em que partilhávamos cadeiras tortas e partidas no "Santa Maria"...em que jurávamos nunca nos calar...nunca parar de criticar, nunca parar de reparar, nunca as migalhas apanhar e nunca concordar!!
Concordo...à pois concordo...
Foi no dia em que nasceu o primeiro filho...neste caso a primeira filha...deixei de deixar a luz acesa, comecei a preparar os discursos da boa educação para quando ela tivesse 4 anos, comecei a fazer condução preventiva....
Tenho saudades, muitas saudades...mas, tenho 3 filhos e tenho saudades de coisas ainda mais simples...dormir ou comer ou vestir o 36!!!!!!!!!!
Ana

De Ana Maria a 08.02.2012 às 15:50

Deve ser por isso que os pais às vezes são um pouco mentirosos! (chiuuuu, é segredo...)

Comentar post



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog