Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Falsas expectativas

por Inês Teotónio Pereira, em 07.03.12

No i 

 

A maioria dos filhos tem um enorme problema com os respectivos pais: as expectativas. O problema é este: os pais têm uma coisa estúpida a que se deu o nome de “expectativas em relação aos filhos”. “Ah, eu tenho imensas expectativas em relação a este meu filho, acho que el vai longe, muito longe, ele tem a testa muito alta… ”. É assim como a expectativa que se tem em relação ao Sporting no início da época, “Este ano é que vai ser!”. E este é um enorme problema para os nossos filhos (assim como é um problema para os jogadores do Sporting) porque a verdade é que eles não prometeram nada. Nem que ganhavam, nem que iam ser cientistas famosos, ou líderes carismáticos ou sequer jogadores de futebol. A coisa é tão estúpida que existem mesmo casos relatados em que o pai tem a expectativa de que o filho macho vai ser um dos grandes do futebol mundial porque dá imensos pontapés enquanto está dentro da barriga da mãe.  que revela um talento verdadeiramente inato.

No entanto, os filhos apenas nasceram: não enviaram currículos, nem concorreram a um concurso de nascimentos. E nasceram sem qualquer expectativa, quer em relação ao seu futuro quer em relação à qualidade dos pais que lhes calharam na rifa. Eles querem viver como lhes apetecer e sem garantias. Aliás, a verdade é que nunca pensaram no assunto. Ora, à conta desta expectativa, os pais passam grande parte da vida dos filhos em busca de uma qualquer característica especial no desgraçado do filho: se ele não é bom a desporto é porque é bom a matemática, se não é bom estudante deve ser bom artista, senão é popular é porque é genial, se não é lindo é porque tem imenso estilo. Mas qualquer coisa tem de ser, qualquer coisa de extraordinário e mais do que os outros. E esta é uma expectativa que acompanha toda uma relação absolutamente asfixiante durante os primeiros anos de vida dos filhos. Até que finalmente torna-se evidente que as expectativas são apenas falsas. Quer em grau, quer em género e sejam elas de que tipos forem. Os filhos até podem superar expectativas, mas raramente é como os pais programaram. No fundo, é uma perca de tempo. Sendo que a maior injustiça disto tudo é que os filhos não têm qualquer expectativa em relação aos pais: eles acham que os pais são sempre excelentes, mesmo quando não têm a testa alta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:19


4 comentários

De Maria_S a 09.03.2012 às 19:44

Muito bom :) gostei.

De Sónia Costa a 23.01.2013 às 16:05

Não podia concordar mais...

De Margarida Bourbon Ribeiro a 25.01.2013 às 09:29

Muito bom!!!!

De Helena a 14.06.2013 às 19:45

Adorei este texto. Os filhos nunca são nossos, apenas temos a graça de os ter por empréstimo durante uns anos. Amar é incondicional.

Comentar post



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog