Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



E não se fala mais nisto

por Inês Teotónio Pereira, em 05.07.09

 

Dizem que eu só digo mal do Magalhães porque tenho mais computadores em casa, sou um privilegiada, falo de barriga cheia, etc, etc e tal. Tretas. Eu digo mal do Magalhães porque o Magalhães, além de ser mau, é um mau principio que não resolve problema nenhum: causa problemas. Com o Magalhães o Governo deu um presente às famílias (envenenado, diga-se, porque todos têm de pagar ligação à rede para pertencerem à sociedade global  nas redes não saão baratinhas) e demite-se de resolver um problema das famílias desfavorecidas: ligá-las à sociedade global. Ora, isso devia ser feito equipando as escolas como deve ser e não oferecendo jogos de computador às crianças.

Contam-me alguns professores que os alunos andam com os computadores ligados à net através de placas e sem controlo absolutamente nenhum. Têm dez anos, ou nove, ou oito. Mas os pais é que sabem não é? Os tais pais desfavorecidos. O Magalhães é uma irresponsabilidade do Governo. Mais uma. É uma nova versão dos frigoríficos do Valentim Loureiro mas de abrangência nacional. Mas é assim que se ganham eleições, não é? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:19


8 comentários

De MarizaFMC a 05.07.2009 às 21:16

Concordo plenamente!!!!!

De Clara a 05.07.2009 às 21:47

É completamente idiota, a minha filha só pode usar em casa porque a escola não tem ligação à net...mais valia uma sala c 3 ou 4 pcs na escola, com a devida ligação. Claro que só usam para jogar, mas nem dá para pôr os sims e esse tipo de jogos por não ter entrada de CDs (em casa do pai tem um disco externo só do magalhães, em calhando custou mais do que o próprio magalhães).

De ASG a 05.07.2009 às 21:58

Só com uma pequena diferença: os frigoríficos, parece, eram pagos pelo Major; os Magalhães pagamos todos...

De Lurado do grilo a 05.07.2009 às 23:43

De acordo consigo. Não vale nada: não pelo valor comercial mas porque não acrescenta nada de novo. Não acrescenta competências e no acesso à internet nada resolve: é preciso ter conhecimentos para pesquisar bem, seleccionar a informação e validá-la.

O filtro parental é mau.

Trata-se de um brinquedo caro para angariar clientes de Internet para as redes móveis.

De G. o gajo. a 06.07.2009 às 10:12

Concordo...É uma coisinha tão má que até mete dó. E nem vou começar nos aspectos técnicos da coisa.
Só a filosofia de "vamos dar pseudo-computadores às crianças e todos os males na educação ficarão resolvidos" diz tudo deste governo/país/mentalidade.(escolher o que mais agradar)

G

De Vera Baeta Lima a 06.07.2009 às 12:12

Olá Inês. Bom Dia. Desde que o i nasceu que o compro ao sábado. Porque não tenho tempo para o ler todos os dias, porque me agrada a revista nós, porque me iludo no pensamento de que ao fim de semana tenho mais tempo. Leio sempre a sua coluna. Umas vezes poderia subscrevê-la na integra, outras não. Mas isso não me demove da leitura das suas palavras, porque é no confronto de ideias e na troca de experiências que se aprende e se cresce e eu gosto de aprender e crescer mesmo tendo 43 anos! No dia 29 de Junho escrevi a partir da sua coluna no i desse sábado e subscrevi-a (http://vekikiprojects.blogspot.com/2009_06_01_archive.html). Hoje não posso subscrever este post na totalidade. É verdade que muitos Pais deixam que o computador seja o baby sitter e não controlam por onde vão passando dedos que teclam e olhos que leêm; é verdade que existem professores que não conseguem descobrir utilidade no Magalhães e não o utilizam nem promovem a sua utilização de forma didáctica...mas também é verdade que existem Pais que sabem controlar e moderar a utlização do dito computador/brinquedo e também é verdade que existem Professores que conseguem ultrapassar as questões negativas do dito. Na sala do meu Filho mais novo (8 anos, a caminho do 3º ano), a Professora estabeleceu os dias de utilização do Magalhães com objectivos definidos - o desenvolvimento do trabalho de projecto. Há pesquisa de informação sobre o tema a estudar e trabalho efectivo. Para além disto, a turma tem um bloguinho onde vai publicando o que pela sala se vai fazendo (http://obloguinhodo2a.blogspot.com) e onde os Pais/Mães vão comentando. Acho que com o Magalhães, como com tudo, se tem de ter em conta o positivo e o negativo e a forma como se potencia o positivo.
Para si, um beijo. Apesar de compreender que temos pontos de vista diferentes em alguns temas da sociedade, temos em comum Famílias Numerosas e esse ponto em comum é suficientemente forte para que me sinta em sintonia consigo noutras situações!
Continuarei por aqu(i) e por al(i)!!!

De Blondewithaphd a 06.07.2009 às 15:00

O único Magalhães que conheço (sem ser o da circum-navegação) pertence à filha da funcionária do ginásio onde vou ao final do dia. E, nesses finais de dia, a menina dona do Magalhães passa horas perdidas em jogos. Aqui há dias pedi-lhe para experimentar o bicho: lento como tudo e suuuuper pesado, estilo mesmo bom para fazer escolioses, um autêntico tijolo. Engraçado, de tudo o que é o Magalhães, a única coisa que retenho é: gaita, os putos já vão hiper-carregados para a escola e ainda têm mais este peso extra para transportar, arre!

De CM a 07.07.2009 às 09:22

Nem mais! Concordo inteiramente!
Trabalho na área da educação e acção social... e concordo inteiramente com o que escreve!!

Comentar post



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog