Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O meu bebé é fascista

por Inês Teotónio Pereira, em 28.05.14

Tenho um problema: o meu filho mais novo é mimado. Muito mimado mesmo. Ele grita quando está sozinho, depois grita porque está no parque, depois grita porque está no chão, grita porque quer colo, grita porque quer colo em pé e ainda grita mais porque quer colo mas a passear - um colo móvel. O meu filho é um reacionário fascista e só se cala quando está ao colo, a passear ou então quando está distraido. Ele é, portanto, insuportável. É daqueles que chora sem lágrimas e num tom que faz estermecer todos os neurónios do cérebro - tipo alarme. 

Imaginem que têm o alarme de casa sempre ligado. Já esta? Pois em minha casa é assim.

E porquê? Simples: os meus outros filhos não sabem educar crianças e criaram um monstro. O bebé já sabe que basta gritar para aparecer alguém que o transporte de um lado para o outro e que lhe faça as vontadinhas todas. Apenas um grito e já está. Não há ditador mais eficaz que ele. 

Posto isto gostava de saber se alguém tem o contacto do Dr. Carlos Gonzalez para lhe pedir que tome conta do meu bebé enquanto nós decansamos um bocadinho? É só passar os dias com ele ao colo a andar do lado para o outro. Não custa nada e coitadinho do meu menino, ia gostar tanto.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:16


2 comentários

De mãe sabichona a 28.05.2014 às 20:01

Ahahahahah, vamos conhecendo os autores dos blogues que seguimos. Mal li a palavra mimado vi ligo que isto ia dar ao Gonzalez, e em que sentido :)

De Célia a 05.06.2014 às 07:27

A ver este texto, até estremeci. O meu filho foi assim até aos três anos. Sempre a chorar e a gritar. Não sei como não destrambelhei de vez. Ainda hoje quando ouço um bébé gritar daquela maneira, os cabelos dos braços arrepiam todos, tal não são as boas memórias! Hoje tem 7 anos e é um menino calmo e doce. Quem diria? Célia na Alemanha (http://cinquentamilaventuras.blogspot.de)

Comentar post



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog