Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os filhos dos outros

por Inês Teotónio Pereira, em 20.02.14

 

Uma das grandes dificuldades dos portugueses em geral é que lidam mal com os sucesso alheio. Um sucesso que lhes seja alheio é uma grande chatice. Urge fazer qualquer coisa que torne esse sucesso menos bem sucedido. Os portugueses incomodam-se com isto, o sucesso dos outros desperta a inveja adormecida. Irrita e incomoda. Ao contrário, deliram com as desgraças alheias: parece que ficam de alguma forma consolados, aliviados,  por haver alguém que está em pior situação. É chato, sim; são solidários, claro, mas vivem mais confortáveis com as chatices alheias do que com as felicidades alheias. É assim, é irracionalmente assim e vivemos todos bem com isso, na arte de carpir, já la vão mais de 900 anos. 

Mas, enquanto as comparações se fazem entre casas, carreiras profissionais, carros, roupa e outras parvoices do género, ainda se aguenta; agora, quando a competição chega aos filhos, é a loucura total. É que ao contrário do que acontece com os carros, não há filhos melhores que outros: são todos exemplares únicos. Quem compete com os filhos merecia ter a casa cheia de cavalos de corrida em vez de filhos.   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00



A Um Metro do Chão o mundo está cheio de pernas e tem de se olhar para cima para ver o céu - o que faz toda a diferença. O preto é mesmo preto e o branco é branco. As coisas são todas assustadoramente concretas e ninguém aceita argumentos, só respostas. Não é um mundo melhor, pior ou mais verdadeiro; é apenas diferente, apesar de ser o mesmo. Este blogue é sobre isso. E sobre uma coisinha ou outra que pode não ter nada a ver.

Autora

Inês Teotónio Pereira
iteotoniopereira@gmail.com
ver perfil

Livros da mãe






Seguir no Facebook


Pesquisar

  Pesquisar no Blog